Disciplina - Língua Estrangeira Moderna

Guerre des Boutons - Liberté

“A Guerra dos botões” é a quarta adaptação para o cinema do livro homônimo de Louis Bergaud. Aborda o dia a dia das crianças de dois vilarejos rivais (Longeverne e Velran), no interior da França, cujos maiores desafios são a vida escolar, a autoridade dos adultos e o objetivo de vencer os “inimigos” (retirando destes todos os botões das roupas). O líder dos meninos Longeverne, William Lebrac, tem sobre si a responsabilidade de ajudar a mãe no sustento da casa, depois que o pai faleceu. Ele se sente revoltado, mas seu ímpeto é enternecido pela paixão por Lanterna, que quer a todo custo fazer parte do bando de garotos.



Nesta cena, Lebrac está irritado porque sua mãe quer saber de onde ele conseguiu dinheiro (sem saber das gorjetas que ele ganha), e porque ela pede a ele que ajude nas despesas familiares. Revoltado, o menino decide acrescentar “a independência das crianças” como princípio do grupo de meninos, e a falar sobre a independência e a liberdade entre colegas. Junto com os amigos, constrói num bosque próximo o “Ministério das Crianças” um lugar de independência e solidariedade onde pretendem viver essa liberdade sem interferência dos adultos. Destaca-se no trecho que o menino lança mão de um registro mais formal quando quer tratar de temas como liberdade e independência, e quando sugere leis a serem seguidas pelo grupo. Isso se relaciona com a variedade linguística e com a importância de conhecer e saber usar cada variedade conforme o uso.



La guerre des boutons, comédia, França, 2011, 105min.; COR. Direção: Yann Samuell.



Palavras-chave: fala e escrita, discurso, registro, formalidade, língua.

  • 12189
  • 1345
Fechar

Campos com (*) são obrigatórios.

fechar

Copie o código abaixo e insira em sua página:


Ou compartilhe através dos sites:

Fechar

Mais Informações